segunda-feira, 22 de outubro de 2012

SEMPRE.

Não sera sempre tempo demais para esperar por você?
Não sera sempre um desejo louco de acreditar que
o seu amor sobreviveu a todos esses desencontros,
a tantas brigas, a tantas palavras rudes carregadas
de mágoas e rancor, nascidas do nada e do tudo.
-
Não sera sofrimento sem razão de ser se você já abriu
mão de tudo o que vivemos um dia?
Sera que só eu ainda continuo cultivando esse amor
que para você já não tem mais razão de ser?
-
Mas como viver sem esse sentir se sempre foi ele
a causa da minha plenitude como mulher, fazendo-me
sentir por inteiro, vibrar por inteiro e viver.
Como posso abrir mão desse amor se é nele que se 
resume tudo o que sou, fui e serei.
-
Sempre o acalentei, e revivo hoje tudo o que vivi a seu
lado, momentos felizes, momentos tristes, mais intensos.
Nada foi morno, tudo foi quente, forte e real.
Era nos seus braços que eu delirava de amor.
-
Sera que sera para sempre todo esse meu sentir?
Sera que sera para sempre esse desejo louco por você?
Sera que sera para sempre que viverei a sua espera?
Sera que sera para sempre que me deixarei ficar
sonhando com a sua volta?
-
Não sei...Só sei que sempre sera assim pra mim,
e só é real e verdadeiro se formos nós dois.
-
Sílvia Pertusi.

Um comentário:

Mary Morais disse...

este poema demonstra todo o sentimento e pensamento que temos enquanto esperamos por um amor talvez acabado.
se acreditarmos que ainda não acabou, o "para sempre" não é demasiado tempo.
Gostei bastante do seu poema!
Escreve muito bem e escreve para si e não para agradar os outros mas a mim, agradou!
Continue, está muito bem! =)