sábado, 11 de agosto de 2012

RASGUEI A ALMA.

Rasguei a alma para arrancar de dentro dela todo esse sentir, que me maltratava, me fazia sofrer e dilacerava meu coração.
E percebi que a dor de tira-lo do meu coração é bem menor do que a dor que sempre senti por ama-lo tanto.
-
Acabei percebendo que amor que maltrata não é amor,
pode ser sentimento de posse, obsessão, qualquer outro tipo de sentimento, menos amor,
O amor quando é verdadeiro cuida, acalanta, protege.
-
Traz a pessoa amada para perto do coração, não permitindo que nada nem ninguém a maltrate.
Amor quando é verdadeiro, confia, acredita, não julga,
não culpa sem provas, não tortura, não abandona.
-
Rasguei minha alma para arrancar você de dentro dela,
e me senti como se parindo estivesse, uma dor dilacerante como se me estivessem rasgando as entranhas, mas depois da imensa dor veio a calmaria, já não doía mais.
-
Restou apenas aquela sensação do vazio, de perda,
dor da saudade que com o tempo passa, como tudo na vida passa, e com certeza você também passara.
Aos poucos nossas lembranças se apagaram de minha mente e só me restaram meus versos e meus poemas
para recordar que um dia você fez parte dos meus sonhos e fez parte da minha vida.
Adeus...... Pra sempre Adeus.
-
Sílvia Pertusi.

Um comentário:

Dulce Morais disse...

Triste e pungente. Mas tão belo!